Academias para crianças





Pesquisando temas para novas matérias do blog me deparei com esse bastante oportuno lá no site da educacaofisica.com.br. Quem disse que criança não precisa se exercitar? Criança precisa cuidar da saúde também e os pais são responsáveis por isso.

Bom, confesso que não havia conhecido nenhuma academia apenas para os pequeninos, apesar de ter visto uma aqui em Brasília, mas que não é uma academia, mas um centro de recreação para crianças e também um tipo de creche ou hotelzinho.

Academias voltadas para os pequenos fazem atividades dirigidas a eles, algumas funcionam também como escola e aproximam filhos dos pais.

Os depoimentos são maravilhosos. Quem tem filho vai ficar com vontade de levá-lo num lugar desses. Leia com atenção.

Com 1 ano e meio, João é agitado, acorda cedo e está cheio de energia pela manhã. Para tentar “domar” o filho, sua mãe, a administradora de empresas Daniela Badra Sallum Hallak, de 39 anos, procurou uma atividade que o mantivesse ocupado, ativo e próximo dela – para tentar aplacar o ciúme que ele tem do irmão caçula, de 3 meses. Ela encontrou o que procurava em um tipo de estabelecimento cada vez mais comum em São Paulo: academias voltadas para crianças, que trabalham o movimento dos pequenos desde 6 semanas de idade e ajudam as mães na proximidade com os filhos.

O conceito de academia para criança foi importado dos Estados Unidos e adaptado no Brasil que tem dois pontos em comum: aliar o exercício e o conhecimento à diversão e respeitar as fases da criança, oferecendo atividades que a ajudem a se desenvolver.

No local, há dois tipos de programas: um para crianças de 6 meses a, em média, um ano e meio, e outro para crianças dessa idade até 5 anos. O segundo programa funciona mais como uma pré-escola, mas o primeiro, no qual os pequenos precisam estar acompanhados de um responsável, mexe mais com a criança. São três tipos de aula: movimento, música e artes.

Nas aulas são atividade basicamente de estímulos adequados a cada idade, pois a criança só aprende a coordenação motora quando o psicológico permitir. Nas aulas a partir de 3 meses, por exemplo, é mais uma massagem feita pelas mães nos bebês, para ajudar eles a se desenvolverem.

Com aulas que têm como base os movimentos da ginástica olímpica, as mães fazem massagens nos filhos e aprendem que movimentos devem fazer para incentivar seu desenvolvimento. O método não é competitivo, trabalha a parte física com brincadeira. São coisas fáceis, leves, que não forçam. Como um bebê malha? Tem que estimular o abdômen, por exemplo. A criança tem que ser desafiada, mas precisa ser divertido.

Até os 3 anos, as crianças são acompanhadas dos pais nas aulas. Depois, passam a contar apenas com a ajuda dos professores e começam a desenvolver habilidades mais complexas. Depois dos 7 anos, entram os conceitos de treinamento e boa forma. Continua tendo a parte da brincadeira, mas as crianças fazem um circuito. É um trabalho voltado para aquelas que têm noção de boa forma. Cada semana é feita uma atividade nova, é uma ferramenta para ajudar na sociabilização da criança, ela aprende um pouco de tudo.

O número de aulas por semana é controlado, para que mães ansiosas não sobrecarreguem seus filhos – um problema comum nos dias de hoje.
Existem academias que conta com uma abordagem diferente: nela, as crianças têm contato com o esporte e aulas como judô, balé e natação desde cedo.

Por dia, cada criança pode fazer até três atividades, o que representa três horas no local. E além das aulas, trabalha a disciplina, a calma, as horas certas de fazer as coisas, como brincar, tomar banho, comer e também tem aulas de circo, capoeira, futebol, tênis, jazz e sapateado.

Mais uma vez, a orientação é respeitar o desenvolvimento da criança. O tempo de aprendizado não importa, e sim o modo. O importante é que as crianças aprendam de uma forma prazerosa, para levar o esporte para a vida”, conta Rosana.

Quando as crianças ficam várias horas seguidas nos locais de atividade, não tem jeito: é preciso ter uma refeição incluída. Em algumas academias os alunos maiores, que ficam de três a quatro horas por dia no local, ajudam as professoras a montar a mesa para o lanche e são apresentados a alimentos que em casa normalmente eles recusam – beterraba, cenoura e abobrinha, por exemplo – e que no local comem com prazer.

Já em outras academias serviço de alimentação é ainda mais completo. Além do lanche, algumas crianças até almoçam no local – sempre com verduras e legumes no cardápio – e quem faz atividades na piscina é até entregue limpo e cheiroso para a mãe. Funcionárias do local, chamadas de babás, ajudam as crianças a tomar banho, se trocar e guardar suas coisas para voltar para casa.

Que maravilha, né! Não esqueçam de ensinar suas crianças a viverem cuidando do corpo!

Posts Relacionados:
Dicas para recuperar a forma física
Má postura
Dor muscular

11 Responses to Academias para crianças

  1. Dri Viaro says:

    Estou passando pra contar que fomos Top2 na categoria humor do Top Blog, obrigada a todos que votaram, em 2010 tem mais.
    As fotos do evento estão no blog
    bjssss e boa semana

  2. Julie says:

    Eu era uma criança gordinha, mas ninguém pode dizer que não era saudável! Eu fazia ballet, sapateado e natação! Acho muito válido que as crianças tomem gosto pelos esportes logo cedo, que gostem das atividades, é bom pra mãe e bom pra eles, hehhee Ótimo post! Boa semana!

    beijos =***

  3. Oi! Vim convidá-la p/ conhecer meu blog… Guess, Victoria’s Secret… Bjossssssss.
    http://brechoutcloset.blogspot.com

  4. Joka says:

    Boa essa!!! Preciso levar minha sobrinha kkkkkk…Boa semana VÂNIA…

  5. Oi querida! Obrigada pela visitinha! Venha mesmo apareça! Bjossss.
    http://brechoutcloset.blogspot.com/

  6. É muito bacana essas reportagens obre exercícios para a criançada…tem muito pouca gente especializada e com conhecimento nessa área.
    Grande post.
    Passa em nosso sitio para conhecer o http://www.4corredores.com.br e deixa em nosso Blog na página “Blog 4corredores” uma manifestação a respeito do nosso trabalho e do nosso projeto.
    Um grande abraço
    Marildo Nascimento

  7. Acho maravilhosa essa mudança de paradigma de exercícios, prinicpalmente para as crianças. Na minah época era uma estrutura meio militaruizada, em que as aulas de Ed. Fisica eram uma tortura. Só se jogava futebol, mais nada. Aí, genet como eu que não sabe e não gosta, era deixado de fora. Se minha infância tivesse sido diferente, eu não seria tão sedentário hoje, apesar de fazer tango uma vez por semana, e andar bastante. Mas sei q não são suficientes.

  8. Julie says:

    Obrigada pelo comentário! Quando eu tiver os resultados atualizarei no blog! beijos =***

  9. André Gil says:

    Oi Vania

    To com uma duvida e peço ajuda sua e de seus leitores. Diz respeito a frequencia cardiaca de crianças de 10 a 14 anos para treino. A formula 220-idade acho muito. fico no aguardo

    contato andre.gil@energia.com.br

    Parabéns pelo premio e não deixe de visitar educacaofisicaenergia.blogspot.com

    Até

  10. Ione says:

    Por gentileza

    Gostaria de informações sobre essa academia pra crianças, pois não consegui localizar nenhuma na Zona Leste de São Paulo
    e-mail: ione-assis@gmail.com

    Grata

    Ione

  11. Olá Ione, vim trazer algumas academias que existem em São Paulo para que você leve seus filhos. Não sei se fica perto de sua casa, mas vai a dica tá.

    Nesse site você encontra o endereço da Academia Bem me quer, tá: http://www.bmqsports.com.br

    Essa tem em vários locais em São Paulo: http://www.mygymbrasil.com.br/localizacao.php

    Nesse outro site você encontra várias academias que tem modalidades para crianças e adultos: http://www.sampaonline.com.br/comercios/natacao.php

    Espero ter te ajudado a encontrar uma academia para seu filho. Se eu souber de outras digo a você tá.

    Abraços,

    Vânia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>